desagosto

noutro dia um cão raivoso
espumando versos pela boca,
disse sol à nuvem louca
e o inverno inverso, rigoroso,
fez-se ainda mais intenso!
punhal de gelo na carne pouca,
que racha, sangra e estanca
entre a pele e a roupa.
mas, o andarilho lindo e asqueroso,
como brilho de amor, imenso,
ainda trilha as ruas sujas
nas cidades do que eu penso.

4 comentários:

♪ Lucas Soledade ® disse...

Uaaauuuu... Q personalidade nas imagens q vc cria!!! Coerentes como seu talento. Prazer cruzar contigo nessa jornada! ;)

Edgar Borges disse...

TAca um banho nesse peão...hehehe
abraços do norte do norte

Jac. disse...

Venho sempre beber da sua poesia...
É muito boa, muito bonita! Bjos.

Marisa Vieira disse...

Mebs,
Ma-ra-vi-lha!
Grande beijo,

Marisa Vieira