letras celestiais

caído do céu poema azul
ácido pássaro
abatido de gozo e riso
banido do paraíso
ferido em tombo preciso
letra de fado
ritmo de samba
soar colorido
feito blues
de branco tingido
que deus me prove
vai que o céu é mais ao sul
e deus me love
e deus me livre
de ser eu
a besta do após calipso
vai que eu sei
que viro a mesa
luso-afro-brasileira
de madeira nobre
expondo os restos coloniais
desta nação de hipócritas
mostrando o rastros
desta história corrompida
vai que sei
não estou só
e não é só meu esse nó
e esse bom gosto
na língua

5 comentários:

Brendo disse...

Muito Bom !

Vou ler agora os outros poemas !

xD

May =) disse...

eu gosto daquela maçã quadrada ^^

May =) disse...

ou seria uma cereja???

Victor Matheus disse...

ler estes versos foi quase uma drip lucida pelo cosmo!!

inspiradore chapante!!!

Marisa Vieira disse...

Uau! Que maravilha, diria um poema apocalíptico,misterioso!

Que mente alucinada a sua Mebs!rs
Amei!
beijo da amiga/fã
Marisa Vieira