ecoAndo

sou o que soo
no que tino,
no que vibro,
estremeço
e equilibro,
no que teço
e que desfibro.

2 comentários:

renato gusmão disse...

Não vou comentar uma poesia apenas, mas sim dizer de uma leitura geral! Esses versos-poemas-palavras do Rodrigo é para matar uma saudade de muitos companheiros com os mesmos ideais que conheci durante o XVI Congresso de Poesia, na cidade de Bento Gonçalves-RS.
É pensar que tudo que li, fosse como eu mesmo os fiz. É algo que me toca profundamente, profanamente em religiosa leitura sagrada. Vibro com todas as poesias aqui postadas!!!
Valeu, Sumano!

Ass: Renato Gusmão

Jac. disse...

Você é o que soa
O que a sua alma nos conta
No que a poesia se mostra

Me encanto com as suas palavras!

Meu carinho e admiração!